Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

04/09/2017 - 17h56

Projeto mantém reserva indígena em Jaraguá (SP) demarcada em 2015

Billy Boss/Câmara dos Deputados
Audiência Pública e Reunião Deliberativa. Dep. Paulo Teixeira (PT-SP)
Paulo Teixeira: o fim da reserva inviabiliza a subsistência dos indígenas

A Câmara dos Deputados analisa proposta que cancela decisão do Ministério da Justiça que anulou a ampliação de reserva indígena guarani em Jaraguá, entre os municípios de Osasco e São Paulo. A Terra Indígena Jaraguá, com 532 hectares e perímetro de 20 km, foi criada em 2015 e questionada na Justiça.

Em agosto de 2017, a criação da reserva foi cancelada pelo governo pela Portaria 683/17, com os argumentos de que a nova área abrange quase integralmente o Parque Estadual do Jaraguá e foi demarcada sem a participação do estado de São Paulo na definição conjunta das formas de uso da área.

É justamente este ato que o Projeto de Decreto Legislativo 737/17, do deputado Paulo Teixeira (PT-SP), pretende cancelar, com o objetivo de manter a reserva criada em 2015. O deputado argumenta que a portaria é ilegal porque não passou pelo procedimento obrigatório que regula as demarcações indígenas, como a exigência de consultas prévias e outros estudos.

“Na prática, a Portaria 683/17 confina os índios guaranis a ocuparem apenas 3 hectares, ou seja, os índios teriam que viver em apenas 3 mil m², o que inviabiliza totalmente a sua subsistência e a manutenção das tradições indígenas”, afirma Paulo Teixeira.

Tramitação
A proposta precisa ser votada em Plenário, mas antes será analisada pelas comissões de Direitos Humanos e Minorias; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'