Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

09/08/2017 - 11h18

Câmara aprova exigência de limpeza de equipamento usado por consumidor

Projeto aprovado segue agora para sanção do presidente da República

Reprodução/TV Câmara
dep. Andre Abdon
O relator, deputado André Abdon, recomendou a aprovaçáo da proposta

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara aprovou o Projeto de Lei 3411/15, do Senado, que altera o Código de Defesa do Consumidor (CDC – Lei 8.078/90) para obrigar estabelecimentos comerciais a higienizar todos os equipamentos e utensílios disponibilizados ao consumidor no fornecimento de um produto ou serviço.

Conforme justificativa da proposta, o Código de Defesa do Consumidor estabelece que produtos e serviços colocados no mercado não podem acarretar riscos à saúde dos consumidores.

O relator, deputado André Abdon (PP-AP), ressaltou que há exceções no Código, e que em certas atividades o risco faz parte do próprio serviço, mas a proposta deixa claro que a higiene não pode ser uma exceção.

“A proposição tem o escopo de deixar claro que a exceção prevista na lei não se aplica à falta de higienização dos equipamentos e utensílios colocados à disposição do consumidor na aquisição de produtos ou fruição de serviços”, disse.

A proposta foi aprovada em caráter conclusivo e, como já havia sido aprovada pelo Senado, será enviada para sanção do presidente da República, a menos que haja recurso para que seja analisada também pelo Plenário.

Íntegra da proposta:

Reportagem - Marcello Larcher
Edição - Marcia Becker

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Jose Carlos Kleinhappel | 10/08/2017 - 10h53
A higiene deve ser costume e não lei, mais uma interferência do Estado na vida provada e com certeza com ocorrência de mais custos. A concorrência e/ou a preferência do consumidor elimina os maus costumes com a higiene ou seja, ela é um diferencial da prestação de serviço. Essa norma irá incentivar a propina.