Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

30/03/2017 - 19h10

Deputado propõe punição maior para quem vender produto vencido de origem animal

TV Câmara
Dep. Francisco Floriano (PR-RJ)
Francisco Floriano: pena atual é insuficiente para coibir fraudes no setor de alimentos

A Câmara dos Deputados vai analisar duas propostas que aumentam a punição para quem vender produtos de origem animal com data de validade vencida ou fora dos padrões determinados pela vigilância sanitária.

A primeira proposta (PL 7185/17) aumenta para reclusão de dois anos a pena prevista no artigo 132 do Código Penal, que trata do crime de “expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente”. O texto atual prevê detenção de três meses a um ano, o que permite que ela seja trocada pelo pagamento de fiança.

O outro projeto (PL 7186/17) acrescenta artigo ao Código de Defesa do Consumidor para prever a reclusão de dois anos e multa para quem alterar as características dos produtos de origem animal vencido para vendê-los novamente.

O autor das duas propostas, deputado Francisco Floriano (DEM-RJ), lembrou que a saúde do consumidor está resguardada pelas duas legislações que serão alteradas com as propostas, mas as punições previstas são pequenas e não coíbem as fraudes no setor de alimentos.

"A ideia é endurecer as penas para aquelas pessoas que dolosamente colocam a saúde dos consumidores em risco, utilizando de práticas proibidas pela lei e pelos órgãos de vigilância sanitária", disse o parlamentar.

Operação Carne Fraca
Os dois projetos foram apresentados logo após a Polícia Federal ter deflagrado a Operação Carne Fraca, que desvendou um esquema corrupto entre fiscais e frigoríficos para burlar os controles sanitários.

As propostas aguardam despacho do presidente da Câmara para iniciarem a tramitação.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Karla Alessandra
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'