Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

30/05/2017 - 13h22

Privatização dos Correios pode levar à falta de serviço em locais não lucrativos

O pesquisador Igor Venceslau, do Laboratório de Geografia Política e Planejamento da Universidade de São Paulo (USP), destacou, nesta terça-feira (30), que a eventual privatização dos Correios poderia resultar em não oferta de serviços postais e de entrega de encomendas em locais não lucrativos, como a Amazônia, por exemplo.

“Os Correios têm compromisso com a universalidade”, salientou, em comissão geral no Plenário da Câmara. Além disso, conforme ele, a eventual privatização poderia prejudicar a entrega de livros didáticos, de vacinas e a distribuição de donativos em caso de catástrofes. Segundo o pesquisador, os Correios são um “braço de políticas públicas do Estado”.

Já o pesquisador Max Leanon, do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), ressaltou que a empresa tem arrecadação “robusta” e que alguns elementos contribuíram para o déficit a partir de 2015, como a crise econômica. De acordo com ele, a despesa de pessoal da empresa é compatível com empresas internacionais que atuam no setor.

Reportagem – Lara Haje
Edição – Newton Araújo

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Cleide Amaro | 16/08/2018 - 17h18
Passou da hora de privatizar esse elefante branco que NÃO servem a população. Consideram tudo área de risco, mas as agências ficam dentro dessas mesmas áreas, onde funcionários jogam bilhar e tomam seus cafés tranquilamente. Cansada de pagar caro um frete e depois ter que gastar dinheiro com ônibus e perder tempo em filas intermináveis enquanto os funcionários ficam batendo papo. Se não tem condições de entregar um serviço eficiente, que passem o bastão para quem tiver COMPETÊNCIA faça. Quero a privatização URGENTE
Marcos Santos | 29/06/2018 - 08h35
Considerando-se que hoje já não funciona nos lugares lucrativos, sendo comum o extravio de mercadorias e roubo puro e simples, sem contar o completo desrespeito à prazos de entrega, acho muito difícil acreditar que HOJE funcione nos lugares não lucrativos. Aliás, pergunta pra qualquer um que mora em favela se HOJE eles conseguem receber encomendas do correio. Não precisa nem morar na favela, basta morar numa rua próxima, que se vc tiver sorte, mas muita sorte, vai receber a notificação pra buscar na agência. Porque o normal é não receber nem isso e descobrir que chegou pelo rastreamento.
CIVITA | 31/05/2017 - 07h07
TEM QUE SER BEM DETALHADO O CONTRATO, OU SEJA, SE A PESSOA NÃO QUERER ATENDER A REGIÃO TODA, ELA DEVE SER DESCATADA NO ATO, NÃO PODE DEIXAR PARA DEPOIS