Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

29/04/2015 - 16h54

Banda larga deve alcançar 95% da população até 2018, diz ministro

Ricardo Berzoini, das Comunicações, participou de audiência pública na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira

O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, disse nesta quarta-feira (29) que a meta principal da pasta é alcançar 95% da população com internet de banda larga com velocidade média de 25 mbps (megabits por segundo) até 2018. Em audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados, o ministro destacou que a velocidade da banda larga nas escolas públicas brasileiras poderá ser maior.

Conforme Berzoini, hoje todos os colégios urbanos têm conexão de internet, mas, devido à baixa velocidade, essa conexão só serve para os serviços administrativos da escola. Para efetivamente contribuir para o aprendizado dos alunos, ele afirmou que essa velocidade deve ser de 50 a 100 mpbs. Essas metas deverão constar na nova etapa do Programa Banda Larga para Todos, que o governo “está finalizando”, segundo o ministro.

Antonio Augusto / Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre os planos, programas e projetos do Ministério das Comunicações. Ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini
Berzoini: recursos para atingir objetivos virão tanto de parcerias público-privadas quanto do orçamento da pasta

Questionado pelo deputado Bilac Pinto (PR-MG), Berzoini informou que os recursos para atingir esses objetivos virão tanto de parcerias público-privadas quanto do orçamento, porém admitiu que o orçamento da pasta está muito restrito no momento. O deputado José Rocha (PR-BA), que solicitou o debate, pediu prioridade para o Nordeste no programa de banda larga nas escolas.

TV digital
Berzoini também informou que a meta do ministério é concluir o processo de digitalização da televisão brasileira até 2018. Ele admitiu, no entanto, que, “se for necessário, o cronograma poderá ser dilatado”, respondendo a questionamento do deputado Sandro Alex (PPS-PR).

O ministro garantiu que o acesso ao conversor para adaptar a televisão analógica ao sinal digital será gratuito para as 14 milhões de famílias cadastradas no Programa Bolsa Família. O ministério ainda vai decidir que tipo de conversor será entregue a essas famílias, mas, segundo ele, a ideia é que esse aparelho possibilite a interatividade plena, com a interação do cidadão com serviços públicos, por exemplo.

Outra meta do ministério é a “modernização radical” dos processos de concessão de outorgas de rádio e TV. Hoje alguns processos duram até 12 anos. “Queremos desburocratizar e simplificar essas licenças”, salientou o ministro.

Qualidade da telefonia
Berzoini ressaltou ainda que a Lei Geral das Antenas (13.116/15), aprovada recentemente pelo Congresso Nacional, vai ajudar a melhorar a qualidade dos serviços de telefonia celular e de internet móvel 3G e 4G. “Um dos principais problemas era a demora para os municípios concederem licenças para a instalação de antenas. Essa lei vai agilizar o processo”, argumentou.

O ministro acrescentou que uma quantidade significativa de multas às empresas de telefonia celular tem sido aplicadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), como forma de alavancar a qualidade.

Revisão do modelo
Ele também defendeu o início de uma discussão, com participação do Congresso, para avaliar uma possível atualização do modelo das concessões de telefonia fixa, instituído nos anos 1990. O ministro destacou que a demanda maior atualmente é por serviços móveis.

“A tendência no médio prazo é que a telefonia fixa perca receita e interesse. Portanto, toda essa infraestrutura tem de ser utilizada também para alavancar a qualidade da telefonia móvel e da banda larga”, comentou Berzoini. “Temos que saber se, no conjunto das políticas de estado, a legislação em vigor está ajudando ou atrapalhando o sistema”, completou.

Reportagem – Lara Haje
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Pierre | 04/08/2015 - 09h44
Como é que o governo vai entregar tanto acesso assim se concede as operadoras a possibilidade de franquia, ou seja vc utiliza um tanto de gigabytes em uma velocidade e passando disso sua velocidade de download e upload é reduzida a menos de 1/3 da banda contratada ... Se a resolução da Anatel diz que a partir de novembro de 2014 as empresas tem que entregar 90 da banda contratada, subentede-se que não pode haver franquia. é um roubo atrás do outro ... Políticos de M.
Reinaldo Faria Tavares | 29/04/2015 - 19h06
Tanto esforço para que a meninada entre no Facebook e no WhatsApp para postar retrato e piadinha...