Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

  • Retorne o texto ao tamanho normal
  • Aumente o tamanho do texto

Navegação Global

Você está aqui: Página Inicial > Comunicação > Câmara Notícias > Cidades > Comissão externa vai monitorar desdobramentos da enxurrada de lama em Mariana
12/11/2015 - 17h26

Comissão externa vai monitorar desdobramentos da enxurrada de lama em Mariana

Divulgação - Agência Brasil
Enxurrada de lama atinge cidade de Barra Longa e Mariana (MG)
No último dia 5, o rompimento de duas barragens da mineradora Samarco, em Mariana, resultou em uma enxurrada de lama que além de deixar mortos, desaparecidos e desabrigados, inundou o Rio Doce.

Foi instalada nesta quinta-feira (12) a comissão externa criada pela Câmara para acompanhar e monitorar os desdobramentos do desastre ambiental ocorrido na região de Mariana, em Minas Gerais, no último dia 5, quando duas barragens de rejeitos da mineradora Samarco se romperam.

A primeira decisão dos deputados foi marcar uma visita para as cidades de Mariana e Governador Valadares, no próximo dia 16. Os integrantes da comissão também vão para Colatina, no Espírito Santo.

O coordenador da comissão é o líder do PV, deputado Sarney Filho (MA), que é presidente da Frente Parlamentar Ambientalista. Dos 17 integrantes da comissão, 14 são de Minas Gerais e 3 do Espírito Santo - estado que também foi afetado pelo rompimento das barragens.

Um dos membros da comissão é o deputado Rodrigo de Castro (PSDB-MG). Ele disse que já esteve duas vezes na região atingida.

Leonardo Prado
Rodrigo de Castro
Rodrigo de Castro: apenas 6% das barragens são fiscalizadas pelos órgãos responsáveis do governo federal.

"Creio que nós temos que trabalhar em duas vertentes: primeiro, é total apoio às vítimas. E, numa segunda vertente, trabalhar para que acidentes como este não se repitam. Infelizmente, nestes últimos anos, somente em Minas Gerais, nós presenciamos diversos e gravíssimos acidentes envolvendo barragens."

O deputado afirmou ainda que apenas 6% das barragens são fiscalizadas pelos órgãos responsáveis do governo federal. "É um número muito pequeno. E mesmo nesses 6% a fiscalização é falha, como provam esses acidentes em série que aconteceram em Minas Gerais."

No último dia 5, o rompimento de duas barragens da mineradora Samarco, no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, Região Central de Minas Gerais, resultou em uma enxurrada de lama que além de deixar mortos, desaparecidos e desabrigados, inundou o Rio Doce. Os efeitos atingiram diversos municípios em Minas Gerais e no Espírito Santo.

A comissão externa também vai realizar um seminário sobre esse desastre ambiental na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Íntegra da proposta:

Reportagem - Wilson Silveira
Edição – Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



  • Câmara Notícias
    Expediente
    Disque-Câmara: 0800 619 619

Mapa do Portal