Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

19/10/2018 - 15h40

Comissão sugere emendas que destinam recursos a políticas de inclusão de pessoas com deficiência

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Homenagem ao Estado de Minas Gerais pelo seu Aniversário. Dep. Eduardo Barbosa (PSDB - MG)
Eduardo Barbosa: aprovamos emendas que tentam dar viabilidade a ações fundamentais para a pessoa com deficiência

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos Deputados aprovou emendas à proposta de Lei Orçamentária para 2019 (PLN 27/18) para direcionar recursos a políticas de inclusão dessa parcela da população.

"Nós aprovamos emendas que tentam dar viabilidade a algumas ações fundamentais para a pessoa com deficiência, tanto na educação como na saúde, na assistência social e no Ministério dos Direitos Humanos", disse o vice-presidente da comissão, deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG).

Uma das emendas destina R$ 200 milhões para medidas de promoção e defesa dos direitos das pessoas com deficiência. Um dos objetivos é viabilizar o cadastro previsto na Lei Brasileira de Inclusão, direcionando recursos para que a Secretaria da Pessoa com Deficiência tenha condições de quantificar o número de pessoas com deficiência no País e suas condições.

Educação
Outra emenda prevê a destinação de R$ 120 milhões para a educação especial e para a educação de jovens e adultos com deficiência. A deputada Soraya Santos (PR-RJ) ressaltou que o estudo e a capacitação técnica de jovens e adultos com limitação física já são garantidos pela Constituição Federal. Ela afirmou, no entanto, que é necessário que o Ministério da Educação também tenha programas de aprendizado para que as pessoas com deficiência tenham independência financeira.

"Não basta apenas a formação. Nós temos que ter um olhar sobre a autonomia econômica das pessoas com deficiência, ou seja, oferecer cursos de capacitação para que elas possam ser absorvidas no mercado de trabalho e ter uma certa independência financeira”, disse a deputada.

Também foram aprovadas outras duas emendas: uma delas para a construção de 100 unidades dos Centros Especializados em Reabilitação (CER) e para qualificar a estruturação física dos centros, os serviços de reabilitação e as oficinas ortopédicas; e outra emenda para recompor o orçamento de 2019 do Sistema Único de Assistência Social (Suas), com o objetivo de atingir o mesmo patamar de recursos previstos nos anos de 2017 e 2018.

As emendas da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência serão analisadas pela Comissão Mista de Orçamento.

Desafios
O deputado Eduardo Barbosa afirmou que o colegiado terá grandes desafios no ano que vem. "Teremos um ano de grandes ajustes econômicos no governo federal e precisamos estar muito atentos para não ter nenhum tipo de perda de direitos para a pessoa com deficiência. Esta comissão tem que zelar por isto", declarou.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Márcia Torres
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'