Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

20/06/2018 - 15h04

Ministro afirma que programas sociais foram fortalecidos no atual governo

Alberto Beltrane foi questionado, porém, sobre a exclusão de comunidades tradicionais do Bolsa Família

O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, afirmou aos deputados da Subcomissão de Assistência Social da Câmara que os programas sociais foram fortalecidos no atual governo. A subcomissão faz parte da Comissão de Seguridade Social e Família.

Reila Maria/Câmara dos Deputados
Subcomissão Permanente de Assistência Social
Beltrame afirmou 2 milhões de famílias entraram no Bolsa Família, mas foi questionado sobre a exclusão de comunidades tradicionais

Segundo Beltrame, no começo da gestão, muitos acreditavam que o governo iria acabar com programas, o que não aconteceu.

O ministro citou ações de combate às fraudes em programas sociais e, ao mesmo tempo, disse que o Bolsa Família incluiu dois milhões de novas famílias.

O ministro ressaltou que, embora esses programas sejam importantes, o essencial é que as políticas sociais sejam libertadoras e não geradoras de mais dependência.

"Programas de transferência condicionada de renda, como o Bolsa Família, são extremamente importantes pra resgatar as pessoas da pobreza, mas isso não é suficiente. É importante trabalhar contra a pobreza de forma sustentável, ou seja, garantindo que as pessoas consigam realmente se emancipar e gerar autonomia em relação aos programas," disse.

Alberto Beltrame destacou os programas Criança Feliz, que propõe visitas domiciliares aos inscritos no Bolsa Família, e Progredir, que oferece microcrédito para empreendedores e educação financeira.

"Não nos interessa gerar pobres endividados. É importante que eles consigam tomar esse empréstimo e realmente gerarem renda, gerarem trabalho, para melhorar a condição de vida."

Comunidades tradicionais
A deputada Benedita da Silva (PT-RJ) disse que é necessário um olhar mais atento do governo para o Sistema Único de Assistência Social (SUAS) para que ele possa cumprir o seu papel. Benedita questionou também a exclusão de pessoas do Bolsa Família:

"Tivemos 470 mil beneficiários cancelados e 650 mil bloqueados. Que nós tenhamos a reintegração de beneficiários como, por exemplo, as comunidades tradicionais. Elas foram excluídas e nós gostaríamos de saber como este programa vai incluí-las na medida que também temos o processo de congelamento por 20 anos."

Reportagem – Giovanna Maria
Edição – Ana Chalub

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'