Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

06/07/2017 - 08h13

Comissão discutirá o cultivo, os usos e benefícios da erva-mate

Brasilidade - Erva-mate
No sul do Brasil, a erva-mate é consumida como um chá quente conhecido como chimarrão

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável promove audiência pública, nesta quinta-feira (6), para discutir o cultivo, usos e benefícios da erva-mate. O evento foi proposto pelo deputado Heitor Schuch (PSB-RS). Ele ressalta que a erva-mate (Ilex paraguariensis) é um patrimônio genético sul-americano, planta símbolo da integração dos países do Mercosul. Também chamada mate, é consumida como chá (quente ou gelado), chimarrão ou tereré no Brasil, no Paraguai, na Argentina, no Uruguai, na Bolívia e no Chile.

O deputado destaca que análises e estudos sobre a erva-mate têm revelado uma composição que identifica diversas propriedades benéficas ao ser humano, pois estão contidos nas folhas da erva-mate alcaloides (cafeína, teofilina, teobromina etc.), ácidos fólicos e caféico (taninos), vitaminas (A, B1, B2, C, e E), sais minerais (alumínio, ferro, fósforo, cálcio, magnésio, manganês e potássio), proteínas (aminoácidos essenciais), glicídios (frutose, glucose, sacarose etc.), lipídios (óleos essenciais e substâncias ceráceas), além de celulose, dextrina, sacarina e gomas.

“O consumo da erva-mate está relacionado também ao poder que ela tem de estimular a atividade física e mental, atuando beneficamente sobre os nervos e músculos, combatendo a fadiga, proporcionando a sensação de saciedade, sem provocar efeitos colaterais como insônia e irritabilidade (apenas pessoas sensíveis aos estimulantes contidos na erva-mate podem sofrer algum efeito colateral)”, acrescenta Heitor Schuch.

Produtos derivados
A erva também atua sobre a circulação, acelerando o ritmo cardíaco e harmonizando o funcionamento do bulbo medular. Age sobre o tubo digestivo, facilitando a digestão, sendo diurética e laxativa. É considerada ainda um ótimo remédio para a pele e reguladora das funções cardíacas e respiratórias, além de exercer importante papel na regeneração celular.

“São inúmeras propriedades e vários produtos derivados da erva-mate que surgem com um maior estudo da planta. É necessário fortalecer e incentivar a pesquisa nacional a fim de identificar, desenvolver e criar novas variedades da planta erva-mate, identificando os vários sabores e aplicações da planta”, argumenta o parlamentar.

Expositores
Foram convidados para falar sobre o assunto:
- o presidente do Instituto Brasileiro do Mate (Ibramate), Valdir Pedro Zonin;
- um representante do Ministério do Meio Ambiente;
- um representante da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Sul (Emater-RS);
- um representante da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Erva-mate do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;
- um representante do Sindicato da Indústria do Mate do Rio Grande Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul (Simate-RS); e
- um representante da Escola Nacional do Chimarrão, Tiago Antônio Fick.

A audiência ocorrerá no plenário 8, a partir das 9h30, e poderá ser acompanhada ao vivo pelo WebCâmara.

Da Redação – NA

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'