Você está aqui: Página Inicial > Comunicação > Câmara Notícias > Agropecuária > Projeto suspende demarcação de terra indígena no MT
31/03/2008 - 20h56

Projeto suspende demarcação de terra indígena no MT

A Câmara examina a suspensão da portaria do Ministério da Justiça que dá a posse permanente da Terra Indígena Batelão ao grupo indígena Kayabi. A área está localizada nos municípios de Juara, Tabaporã e Nova Canaã do Norte, todos no Mato Grosso. A medida está prevista no Projeto de Decreto Legislativo 475/08.

De autoria do deputado Homero Pereira (PR-MT), a proposta susta a Portaria 2.136/07, do Ministério da Justiça. O parlamentar argumenta que a demarcação estabelecida pelo ministério incide sobre terras que não preenchem os requisitos constitucionais para serem ocupadas tradicionalmente pelos índios. Segundo ele, sob o pretexto de assegurar os direitos dos índios foram demarcadas terras ocupadas por agricultores, "provocando inúmeros prejuízos sociais e econômicos na região afetada".

Movimento indigenista
O deputado ressalta que "se trata de uma área reivindicada pelo movimento indigenista, com a assistência e o apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai), que quer premiar um grupo seleto de 200 índios".

Ele destaca que a região é habitada por agricultores que ali desenvolvem atividades geradoras dos recursos necessários à sua sobrevivência. De acordo com a portaria, a extensão da área de propriedade dos índios é de 117 mil hectares.

Normas legais
Homero Pereira afirma que existem na região propriedades rurais produtivas, que respeitam as leis ambientais e todas as normas legais, pagam impostos e geram renda para as suas famílias e emprego para toda a comunidade local. "São, portanto, propriedades que cumprem a sua função social", diz. Por esse motivo, para ele a decisão do governo federal poderá resultar em intermináveis conflitos agrários.

O deputado ressalta ainda que, em 2004, as lideranças indígenas Kayabi manifestaram, em ata assinada, que não havia interesse na referida área rural. Mesmo assim, sob influência de entidades não-governamentais, segundo Pereira, a Funai manteve a demarcação.

Tramitação
O projeto será analisado pelas comissões de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; de Direitos Humanos e Minorias; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de seguir para o Plenário.

Notícias anteriores:
Agricultura aprova fim de terra indígena Apyterewa
PEC submete ao Congresso decisão sobre terras indígenas
Projeto vincula desocupação de área indígena a indenização
Portaria que deu terra à tribo Terena poderá ser suspensa
Lideranças indígenas pedem aprovação de estatuto
Agricultura aprova fim de áreas indígenas em SC
Proposta susta efeitos de ato da Funai sobre área indígena
Congresso poderá decidir demarcação de terras indígenas
PEC submete ao Congresso demarcação de área indígena
Comissão muda regras para demarcação de terras indígenas

Reportagem - Cristiane Bernardes
Edição - Marcos Rossi


(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br

Íntegra da proposta:


A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



  • Câmara Notícias
    Expediente
    Disque-Câmara: 0800 619 619

Mapa do Portal