Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

  • Retorne o texto ao tamanho normal
  • Aumente o tamanho do texto

Navegação Global

Você está aqui: Página Inicial > Comunicação > Câmara Notícias > Administração Pública > Comissão aprova pontuação extra em concursos por tempo de serviço militar
10/12/2015 - 20h49

Comissão aprova pontuação extra em concursos por tempo de serviço militar

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou proposta que assegura pontuação extra na prova de títulos ao candidato que comprovar tempo de serviço militar. Pelo texto, a medida será válida em concursos públicos voltados para a área de segurança pública. A pontuação extra representará entre 10% e 30% da nota total atribuída aos candidatos.

Foi aprovado o Projeto de Lei 1601/15, do deputado Hélio Leite (DEM-PA), com emenda do relator na comissão, deputado Alexandre Leite (DEM-SP).  O relator acolheu sugestão da deputada Laura Carneiro (PMDB-RJ) e retirou a palavra “obrigatório” da expressão “serviço militar obrigatório”, prevista no texto. O objetivo, segundo a parlamentar, é estender o benefício para o serviço militar alternativo, modalidade que alcança as mulheres.

A redação original do projeto buscava incentivar o exercício do serviço militar obrigatório.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado ainda pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Gilsoni | 15/12/2015 - 12h19
“…É graças aos soldados, e não aos sacerdotes, que podemos ter a religião que desejamos. É graças aos soldados, e não aos jornalistas, que temos liberdade de imprensa. É graças aos soldados, e não aos poetas, que podemos falar em público. É graças aos soldados, e não aos professores, que existe liberdade de ensino. É graças aos soldados, e não aos advogados, que existe o direito a um julgamento justo. É graças aos soldados, e não aos políticos, que podemos votar…” BARACK OBAMA no MEMORIAL DAY (Dia do Veterano)
Lino | 15/12/2015 - 11h36
A união investe, forma e especializa os soldados temporários, estes podem permanecer por até 8 anos no serviço ativo, mais tarde sendo dispensados,portando conhecimento sensível, diferenciado e compatível com os das forças militares auxiliares. Mais cabível seria só poder prestar concurso público para a polícia militar e bombeiro aquele cidadão que prestasse ao menos um ano de serviço militar em força militar federal! Patriotismo se aprende na caserna, as forças armadas são uma escola para a vida, não sendo assim desmilitarizem as forças auxiliares, deixe o militarismo para os militares.
Mainah Almeida | 14/12/2015 - 23h24
Na minha concepção esse projeto fere o princípio da igualdade, uma vez que não existe nenhuma desigualdade entre aqueles que prestam serviços militar com os de ampla concorrência, pelo contrário, estão criando uma vantagem que não deveria existir. Se querem incentivar as pessoas a prestarem esse tipo de serviço à segurança nacional, que seja com estratégias plausíveis ao bem de todos.
  • Câmara Notícias
    Expediente
    Disque-Câmara: 0800 619 619

Mapa do Portal