Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

11/12/2013 - 08h36

Vencedores da maratona hacker da Câmara serão premiados hoje

Arquivo - Antonio Augusto
Cãmara - partipação pop. - Hackathon - Hackers reunidos no Salão Branco da Câmara. 29.10.13
Hackathon foi realizada de 29 de outubro a 1º de novembro de 2013, no Salão Branco da Câmara.

Vencedores da primeira maratona hacker da Câmara dos Deputados serão premiados hoje. O Hackathon 2013 foi promovido em parceria com o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do TCU (Sindilegis), com o objetivo de usar as tecnologias digitais para ampliar a transparência do trabalho parlamentar e aumentar a compreensão sobre o processo legislativo.

A comissão avaliadora do concurso escolheu três aplicativos. A cerimônia de premiação ocorrerá às 10h30, no gabinete do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves.

Ao todo, foram desenvolvidos 22 aplicativos para celulares e computadores. Os três primeiros colocados vão receber, cada um, R$ 5 mil pagos pelo Sindilegis, patrocinador da maratona.

Vencedores
O baiano Kellyton Brito venceu o Hackathon com o aplicativo "Meu Congresso", que reúne informações sobre o mandato dos parlamentares e garante o controle social sobre os gastos de deputados e senadores. "A parte mais interessante é a análise que o site faz em relação aos gastos com as cotas parlamentares. É possível ver a classificação dos gastos por categoria: combustíveis, transportes, passagem aérea, aluguel de veículo. E tem uma parte importante também que é o relacionamento com as empresas", afirmou o primeiro colocado.

Em segundo lugar, ficou o aplicativo "Monitora, Brasil", que permite ao cidadão acompanhar, via celular, a assiduidade e as propostas dos parlamentares. Seu autor, o brasiliense Geraldo Figueiredo, disse que se inspirou nas manifestações populares de julho para oferecer uma opção que ampliasse a participação do povo na política. "Essa ferramenta é mais para atrair o interesse do cidadão comum, que tem um celular, de participar mais, fazendo com que seja uma democracia mais participativa e não só representativa", assinalou.

O terceiro colocado no Hackathon 2013 foi o aplicativo "Deliberatório", um jogo de cartas off-line que simula o processo de discussão e deliberação das propostas em tramitação na Câmara. Foi desenvolvido por Valéssio Soares, que não escondeu a surpresa nem o reconhecimento pela iniciativa da Câmara dos Deputados. "Assim que vi o edital, eu fiquei muito surpreso, vindo de um órgão federal. Até então, essa iniciativa era feita de forma autônoma no Brasil, feita por hackers usando dados que nem sempre estão bem trabalhados. Fiquei bastante surpreso em ver a Câmara abrir as portas para trazer as pessoas para dentro dela".

Os aplicativos serão disponibilizados no portal da Câmara e, na medida do possível, serão integrados aos sistemas de informação da instituição. Durante a premiação, o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves, deverá receber o relatório preparado pelo site Votenaweb sobre as manifestações populares deste ano.

Debate com os vencedores
Também hoje, às 14 horas, a Comissão de Legislação Participativa promove audiência pública com o tema: "Hackathon - a Maratona do Hacker". Foram convidados para o debate o diretor-geral da Câmara dos Deputados, Sérgio Sampaio, e os vencedores do Hackathon: Kellyton dos Santos Brito, Geraldo Augusto Morais Figueiredo e Valessio Soares de Brito.

O deputado Paulo Pimenta (PT-RS), que solicitou o debate, lembrou que uma comunidade de organizações civis que trabalham com transparência legislativa, com o apoio de vários parlamentos e associações internacionais parlamentares, como a União Interparlamentar (UIP) e a Organização das Nações Unidas (ONU), elaboraram a Declaração de Parlamento Aberto.

Nesse documento, os organismos defendem o oferecimento de canais de participação social no processo legislativo; a publicação de informações parlamentares em portais institucionais em formatos de dados abertos; e a realização de atividades cívicas de estímulo ao uso desses dados.

“A Câmara destaca-se como um dos parlamentos mais abertos do mundo, atendendo a fundo tais critérios de transparência e sendo referência para estudos e guias internacionais como exemplo de casa legislativa transparente e aberta à participação social (União Interparlamentar, Global Centre for ICT das Nações Unidas, Banco Mundial)”, ressaltou o parlamentar.

O debate ocorrerá no Plenário 3.

Reportagem - José Carlos Oliveira
Edição – Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'