Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

01/11/2013 - 16h24 Atualizado em 05/11/2013 - 12h39

Lista dos vencedores da maratona hacker promovida pela Câmara sai no dia 18

Concurso incentiva o desenvolvimento de aplicativos para melhorar a transparência legislativa. Projetos ganhadores estarão disponíveis no portal da Câmara no final de novembro.

Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Apresentação dos projetos finais da 1ª maratona hacker da Câmara dos Deputados, que convida programadores, desenvolvedores e inventores para criação de soluções web que visem à melhoria do processo legislativo
Presidente da Câmara estuda tornar permanente o ambiente multimídia montado no Salão Branco para a Hackathon.

Foi encerrada nesta sexta-feira (1º) a fase presencial do concurso Hackathon – Maratona Hacker, promovido pela Câmara dos Deputados, com a participação de 50 programadores. Nesta etapa, os concorrentes apresentaram individualmente ou em equipe 27 propostas de aplicativos para melhorar a transparência legislativa. Agora eles terão até o dia 11 de novembro para apresentar os aplicativos prontos.

Uma comissão avaliadora formada por um parlamentar, técnicos da Casa e representantes da sociedade vai escolher os três projetos vencedores, que receberão, cada um, R$ 5 mil de prêmio, com patrocínio do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal (Sindilegis) e do Tribunal de Contas da União (TCU).

O coordenador da comissão organizadora, Cristiano Ferri, informou que o resultado deverá ser divulgado no dia 18 (lista prévia de vencedores). Ele elogiou a qualidade dos 27 projetos apresentados, que foram selecionados dentre 99. A ideia é que os três aplicativos ganhadores e outros mais bem avaliados estejam no site da Câmara e disponíveis para acesso público até o final de novembro.

Desde terça-feira (29), os hackers trabalharam nos aplicativos em um ambiente montado dentro do prédio da Câmara, no Salão Branco, com internet de alta velocidade e projetores multimídia. Cristiano Ferri estuda a possibilidade de tornar esse espaço permanente – ideia que conta com o apoio do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves.

Acompanhe seu parlamentar
A maioria dos projetos apresentados tem o objetivo de mostrar de forma mais clara a atuação parlamentar. É o caso do aplicativo Monitora Brasil, para celulares Androide e iPhone, desenvolvido pelo hacker Geraldo Augusto. A iniciativa permite, por exemplo, o acompanhamento dos gastos dos deputados referentes à cota parlamentar e mostra se a despesa está acima ou abaixo da média geral.

“Apresentei o aplicativo para muitos deputados, que gostaram muito, porque eles mesmos não sabem como estão gastando; em geral, quem sabe disso são os assessores”, contou Geraldo. Já é possível baixar o aplicativo, que permite também verificar a assiduidade, os projetos propostos e o Twitter do parlamentar. Qualquer uma dessas informações pode ser compartilhada pelo usuário por meio das redes sociais.

Já o site PoliticaMe, também já em funcionamento, busca facilitar a vida do cidadão na hora de encontrar candidatos que efetivamente lhe represente. Desenvolvido pelo hacker Cássio Paixão e Max Rosan, o serviço permite que o usuário vote em projetos de lei e outras propostas e, em seguida, confira os parlamentares que votaram de maneira semelhante à sua. “Ou seja, o resultado mostrará alguém que pode representar o usuário na Câmara”, comentou Cássio.

Por sua vez, o hacker Fernando Torres desenvolveu aplicativo que permite acesso do Portal e-Democracia pelo iPhone. O usuário pode optar por ter atualizações instantâneas ou semanais. A ideia é ampliar e facilitar o uso do portal desenvolvido pela Câmara.

Cidadania e diversão
Outros participantes preferiram desenvolver jogos para que o cidadão conheça mais sobre os deputados de maneira divertida. O hacker Victor Ribeiro apresentou um jogo educativo para Facebook chamado de Futecamara. Ao entrar no aplicativo, o usuário monta um time de futebol usando os deputados como jogadores. Os resultados das partidas serão calculados com base na combinação dos parlamentares escalados para a partida e suas respectivas assiduidades nas sessões, número de propostas apresentadas e outros dados adquiridos por meio da página da Câmara.

Já o hacker Capi Etheriel fez uma versão digital do jogo de tabuleiro Cara a Cara com os deputados. O objetivo é fazer com que os cidadãos conheçam o rosto de seus representantes e algumas informações relevantes de sua atuação parlamentar. O usuário faz perguntas até chegar ao parlamentar sorteado. Ao lado do rosto de cada deputado, estão dispostas informações visuais. “Se o parlamentar é líder, tem uma coroa; se está na Câmara há três legislaturas, tem três estrelinhas”, explicou Capi.

A Hackathon integra as comemorações dos 25 anos da Constituição Federal. Além disso, é parte de uma nova fase de transparência, decorrente da recente Lei do Acesso à Informação (12.527/11), a chamada transparência 2.0.

Reportagem – Lara Haje
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'