Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

17/05/2006 - 23h26

Promotor defende fim da Lei Fleury

Durante a audiência pública, o promotor de Justiça Marco Aurélio Lima do Nascimento, do Pará, responsável pela acusação no processo de Eldorado dos Carajás, criticou a impunidade vigente no País. "Por mais hediondo que seja o crime, o criminoso nunca vai para a cadeia, porque pode se valer de uma infinidade de recursos judiciais, que retardam a aplicação da justiça por dez, vinte ou trinta anos", disse o promotor.
Nascimento propôs aos deputados que revoguem a Lei Fleury (Lei 5941/73), que permite ao condenado aguardar em liberdade o julgamento do recurso. Para o promotor, essa lei é um "entulho autoritário, um resquício da ditadura", e tem servido para garantir a impunidade dos criminosos que dispõem de condições econômicas para pagar bons advogados. A solução, na opinião do promotor, é eliminar a aplicação da Lei Fleury no caso de crimes hediondos, mantendo-a apenas para os crimes punidos com pena inferior a quatro anos de prisão.

Reportagem - Luiz Claudio Pinheiro
Edição - Rejane Oliveira


(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br
RCA



A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'