Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

05/05/2010 - 18h04

Trânsito provoca mais de 35 mil mortes por ano no Brasil

O trânsito é a principal causa de mortes entre pessoas de 15 a 44 anos e gera em todo o mundo, anualmente, 1,3 milhão de vítimas fatais, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). Só no Brasil, pelos dados do Ministério da Saúde, mais de 35 mil pessoas morrem nas estradas e ruas por ano. O trânsito brasileiro mata 2,5 vezes mais do que nos Estados Unidos e quase 4 vezes mais do que na Europa. A Pesquisa Nacional de Domicílios do IBGEÓrgão da administração pública federal subordinado ao Ministério do Planejamento. Principal provedor de dados e informações oficiais do país. Suas principais funções são: - produção e análise de informações estatísticas, - coordenação e consolidação das informações estatísticas, - produção e análise de informações geográficas, - coordenação e consolidação das informações geográficas, - estruturação e implantação de um sistema da informações ambientais, - documentação e disseminação de informações e - coordenação dos sistemas estatístico e cartográfico nacionais.   em 2008 mostrou que, de cada 200 cidadãos no Brasil, 5 haviam se envolvido em acidentes de trânsito no ano anterior.

De acordo com o deputado Hugo Leal (PSC-RJ), a segurança do trânsito não deve ser vista apenas com foco na área de transportes, e sim como problema de saúde pública. "Se nada for feito, a violência no trânsito será, até 2015, a principal causa do extermínio de seres humanos nos países em desenvolvimento", afirmou. Ele argumentou que é necessário estabelecer uma política pública com metas anuais de redução dos acidentes.

Prejuízos à economia
O diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Hélio Derenne, disse que os acidentes de trânsito geram um prejuízo anual de R$ 30 bilhões para a economia nacional. Ele apontou a educação como fundamental na aplicação das leis.

"Só por meio da educação e da consciência dos usuários das ruas e das estradas é que vamos reduzir os acidentes. Não adianta o esforço legal se não houver a contrapartida e a consciência da sociedade", afirmou. Ele pediu foco nas ações de educação de trânsito nos municípios, responsáveis por 85% da malha rodoviária.

Derenne apontou outro problema: apesar de a frota de veículos no Brasil ter mais do que duplicado nos últimos anos, o número de policiais rodoviários federais aumentou em apenas 1%, o que prejudica o trabalho de fiscalização e de punição aos infratores.

Reportagem - Tiago Miranda e Luiz Cláudio Canuto
Edição - João Pitella Junior

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'