Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Agência Câmara de Notícias > Direitos Humanos > Relatora quer lei de registro em consulado neste semestre
Pesquisar notícias
10/05/2007 22:22

Relatora quer lei de registro em consulado neste semestre

A relatora da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 272/00, deputada Rita Camata (PMDB-ES), informou hoje que entregará seu parecer até o fim deste mês. A PEC corrige um problema criado pela Emenda Constitucional de Revisão 3, de 1994, que extinguiu a possibilidade de filho de brasileiros nascido no estrangeiro ser registrado em repartição brasileira para aquisição de nacionalidade.

Camata observou, durante audiência pública promovida pela comissão especial sobre o tema, que a PEC pode ser votada e promulgada ainda neste semestre, pois há consenso sobre o assunto.

A diretora-geral do Departamento de Estrangeiros do Ministério das Relações Exteriores, ministra Mitzi Gurgel Valente da Costa, informou que, atualmente, há entre 3 milhões e 4 milhões de brasileiros residentes no exterior. Ela destacou que, desse total, muitos tiveram filhos após 1994.

A ministra assinalou que, se a PEC não for aprovada, os residente no exterior terão problemas a partir de 2012. "Esses brasileiros terão dificuldades para vir visitar seus parentes, pois não poderão trazer os seus filhos e essas crianças vão perder a nacionalidade brasileira. Seria importante manter o vínculo dessas crianças com o Brasil", disse.

De acordo com a proposta, os nascidos no exterior, de pai brasileiro ou mãe brasileira, poderão ser registrados em repartição brasileira competente fora do Brasil — direito que foi suprimido pela revisão constitucional, criando uma geração de brasileiros apátridas. Atualmente, para obter registro no exterior é necessário pedir despacho a um juiz no Brasil.

Falta de informação
Rita Camata questionou os debatedores sobre a falta de informação a respeito do registro de brasileiros nascidos no exterior, citada pela representante do Movimento Brasileirinhos Apátridas, Denise da Veiga Alves, que já residiu na Suíça e disse ter contato com muitos brasileiros que não conhecem a legislação. Ela informou que, nos dias 1º e 2 de junho, serão entregues em diversas cidades do Brasil e do exterior manifestos pedindo a mudança da legislação.

De acordo com o representante do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Joelson Dias, é evidente a necessidade de aprimorar o sistema de informação nos consulados e embaixadas brasileiras. "É extremamente importante garantir o direito essencial desses brasileiros à informação sobre o registro", reivindicou. A ministra Mitzi Gurgel informou que existem, nas principais cidades onde há consulados brasileiros no exterior, grupos de estudo sobre a cidadania, que podem informar qualquer dado necessário.

Ela admitiu, no entanto, que não há dados definitivos sobre o número de filhos de brasileiros sem registro, mas estima que essa quantidade se aproxime de um milhão.

Votação
O presidente da comissão especial, deputado Carlito Merss (PT-SC), afirmou que os deputados já finalizaram as audiências sobre a matéria. Ele acredita que até o final de maio a proposta poderá estar pronta para ser votada em Plenário.

Carlito Merss considerou como uma grande idéia a criação da Frente Parlamentar Cidadania Sem Fronteiras, que a seu ver pode atender a cerca de um milhão de brasileiros com problemas de nacionalidade.

Leia mais:
Registro temporário pode garantir certidão em consulados

Notícias anteriores:
Comissão sobre nascidos no exterior define presidente

Reportagem - Adriana Resende e Paulo Roberto Miranda
Edição - Regina Céli Assumpção


(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br
JPJ



A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'



Mapa do Portal