Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

07/02/2018 - 16h37

Câmara tem um dos menores consumos registrados de água e energia elétrica desde 1999

Redução ocorreu apesar da ampliação da área edificada da Casa

Os gastos da Câmara dos Deputados com água e energia elétrica alcançaram, no ano passado, os menores níveis registrados desde 1999 (dados catalogados). O resultado é atribuído a ações implementadas nos edifícios administrativos da Casa. A redução do consumo ocorreu apesar de, nesse período, ter havido o acréscimo de novos edifícios (e de seus consumos) ao patrimônio edificado da Câmara.

O consumo de água potável foi o menor registrado até hoje. Se comparado somente ao ano anterior, 2016, o consumo de água teve uma redução de 24%. Comportamento semelhante foi observado quanto à energia elétrica. Seu consumo em relação ao ano anterior registrou uma redução de 12%. Já em comparação à série histórica, os valores do consumo de 2017 são os menores registrados, salvo nos anos de 2001 e 2002, época em que houve a restrição de consumo imposta pelo Governo Federal (popularmente conhecida como “crise do apagão”). Os gráficos abaixo mostram as séries históricas de consumo de água e energia elétrica, desde o início dos seus registros:

consumo de água 2
Legenda
Consumo de energia 2

Dentre as ações implementadas para reduzir significativamente o consumo de água, destacam-se:

  • Instalação de arejadores nas torneiras de banheiros públicos e privativos;
  • Decisão de não alimentar os espelhos d’água dos edifícios Principal, Anexo I e Anexo III com água potável (encontra-se em estágio avançado o processo de contratação de poço artesiano para suprir os espelhos do Edifício Principal e Anexo I);
  • Desenvolvimento de metodologias para detecção de vazamentos com diagnósticos mais céleres;
  • Utilização de vegetação de jardinagem com consumo reduzido de água;
  • Redução da necessidade de irrigação nos períodos secos; e
  • Revisão das técnicas operativas dos sistemas de ar condicionado da Casa.

Para redução do consumo de energia elétrica, destacam-se:

  • Substituição superior a 90% das lâmpadas fluorescentes por lâmpadas do tipo led nos prédios administrativos da Casa, e
  • Revisão das técnicas operativas dos sistemas de ar condicionado, por meio de pequenos investimentos e de novos procedimentos técnicos.

Outras ações estão sendo desenvolvidas pelas equipes técnicas da Câmara dos Deputados, na perspectiva de reduzir ainda mais o consumo de água e de energia elétrica na Casa, na busca de soluções que contribuam para a sustentabilidade.

Desde 2003, a instituição conta com um programa especialmente dedicado às questões ambientais. O Comitê de Gestão Socioambiental – EcoCâmara coloca em prática os princípios e diretrizes contidos na política socioambiental da instituição.