Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

20/04/2017 18h15

Reforma trabalhista deve ser votada no Plenário na quarta-feira

Antonio Mota | 25/04/2017 12h05
As reformas propostas são na realidade uma forma de usurpar cada vez mais os trabalhadores brasileiros que hoje, ainda que recorram à justiça trabalhista mesmo assim ainda perdem, porque já deram de sua força de trabalho para o enriquecimento dos empresários brasileiros em sua maioria corruptos conforme estamos vendo no nosso dia a dia.
Elaine Cristina Câmara pereira | 24/04/2017 13h56
É revoltante ver "representantes do povo" contra o povo, defendendo meramente os interesses empresariais do capitalismo selvagem e criminoso. No país das maravilhas o patrão acorda bem humorado e resolve dá aumento aos seus trabalhadores,pagar as horas extras que nunca foram pagas,respeitar a intrajornada,depositar todo FGTS atrasado,coloca as comissões no contracheque e proibi o desvio de função. Meus caros deputados na verdade quem precisa se modernizar, não são as leis, nem os trabalhadores, mas sim a classe empresarial do Brasil que vive da exploração da força de trabalho.
Luiza Rodrigues | 24/04/2017 12h45
A população brasileira deseja saber quando será feita a Reforma Tributária. Creio, que esta deveria anteceder as demais reformas. Aliada à Reforma Política, com redução do número de vereadores e deputados, sem falar na insanidade do número elevado de partidos, que visam unicamente o "Fundo Partidário". País sério não há tantos oportunistas. Infeliz é a Nação que tem um Executivo, um Legislativo e um Judiciário, como os que possuímos. Basta de tanto casuísmos! Se não bastasse o voto em Lista Fechada, agora querem concorrer a mais de um cargo no mesmo pleito. Se não fosse trágico seria cômico.
Jacó Camelo do Nascimento | 24/04/2017 11h11
devemos nós eleitor sermos fortes e segurar nossa bandeira de luta com a ordem: quem votar nas reformas que tira o direito do povo brasileiro esse politico não volta em 2018 e nunca mais quando houver eleição. temos que lutar com esse objetivo e sem medo, pois se fomos capazes de coloca-los no poder teremos forças para tira-los no voto, democracia que não escuta o povo ela é morta.
Francisco Sales | 22/04/2017 15h00
As manifestações deve ser de acordo com confronto dos parlamentares com o povo e seus direitos.
Agnaldo Henrique Nogueira | 22/04/2017 10h30
Vejo estas reformas como um retrocesso na retirada de direitos dos trabalhadores que levaram anos para serem conquistados e favorecer empresários que faz parte da elite brasileira.E preciso que os políticos tenham consciência que quem colocou eles no congresso e na câmara foi o povo.Portanto eles não devem trair a confiança dos eleitores.
Leandro | 21/04/2017 09h52
Indignação! A Lei 6787/2016 altera maia 800 artigos da CLT e o relator deputado Rogério Marinho do PSDB entregará na segunda-feira uma nova proposta com 200 alterações para avaliação da comissão na terça e votação na quarta pelo plenário da câmera. É um absurdo, um processo autoritário e anti-democrático! As relações de trabalho no Brasil ainda precisam melhorar! A flexibilização contida nesta alteração só fará com que empregados mais velhos, que tenham mais direitos, sejam substituídos por formas de trabalho com menos custos. Não gerará novos empregos! Lamentável!
<< < 1 > >>

Comentar

Ainda restam caracteres.

Declaro que estou ciente e aceito integralmente o termo de uso.

Para solicitações – correção, pedido de material ou esclarecimento de dúvidas – entre em contato pelo Fale Conosco.