Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Campanha pelo Sim

Jornal do Brasil - 23/08/2005

Câmara fará campanha a favor do desarmamento


Primeiro objetivo será garantir presença no referendo


A Câmara Legislativa do Distrito Federal promoverá campanha institucional de divulgação do referendo do desarmamento. O principal objetivo da campanha será a conscientização dos eleitores brasilienses da importância da participação de todos no referendo, marcado para o próximo dia 23 de outubro, no qual os brasileiros devem dizer se são ou não favoráveis à proibição da venda de armas de fogo no País.
Segundo o deputado Chico Floresta (PT) - autor do Projeto de Resolução que autoriza a Casa a promover a campanha -, a agência que presta serviços de publicidade para a CLDF deve apresentar proposta para as peças publicitárias ainda hoje e, assim que aprovada, a campanha entrará no ar em jornais, rádios e televisões.

No período de 1979 a 2004, cerca de 550 mil pessoas foram assassinadas no Brasil, vítimas de armas de fogo. Esse levantamento da Unesco foi levado hoje ao Plenário da Câmara Legislativa pela presidente da ONG Convive, jornalista Valéria Velasco, durante a sessão solene em comemoração ao Dia Mundial da Paz e pela formação de uma frente parlamentar pró-desarmamento. Ela é composta pelos deputados distritais Augusto Carvalho (PPS), Chico Floresta (PT), Erika Kokay (PT), Eliana Pedrosa (PFL) e Maria da Guia (PSDB).

De acordo com Valéria Velasco, do total de vítimas de armas de fogo nos últimos 25 anos, 205 mil eram jovens. Além disso, 63,9% dos homicídios registrados pelo SUS em 2002 foram cometidos por armas de fogo. Com base nas estatísticas, ela destacou que o desarmamento seria um primeiro passo para que o Brasil tenha uma nova sociedade, calcada na paz, solidariedade e integração social. Por isso mesmo, conclamou a sociedade do DF a se mobilizar para que os cidadãos locais digam ''sim'' ao desarmamento no Plebiscito a ser realizado em todo o País no dia 23 de outubro próximo.

O vice-presidente da Câmara Legislativa, deputado Chico Floresta (PT) considerou que o movimento pró-desarmamento teve hoje uma grande vitória, que foi a formação da Frente Parlamentar em Defesa da Paz e do Desarmamento. Informou que a Mesa Diretora da Câmara Legislativa aprovou requerimento de sua autoria, em que pede a realização de uma campanha institucional para divulgar a realização do Plebiscito do dia 23 de outubro no âmbito do DF.

As deputadas Erika Kokay (PT), Eliana Pedrosa (PFL) e Maria da Guia (PSDB) também fizeram uma defesa veemente do desarmamento, assim como o presidente do Comitê Pró-Desarmamento do Guará, o ex-deputado distrital Alírio Neto, e o presidente do PPS/DF, Amauri Pessoa. Todos foram unânimes em ressaltar que o plebiscito representará um momento histórico, no qual o Brasil terá oportunidade de dar um passo importante para a paz social.

A sessão solene contou, ainda, com depoimento do presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do DF, Aécio Aires, que informou sobre assassinatos de vários jovens trabalhadores na área rural. O Grupo Cultural Azulim, de Sobradinho II, encerrou o evento com uma apresentação em defesa da paz.