Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Agência Câmara de Notícias > Educação e Cultura > Deputados ressaltam crítica de Milton Santos à globalização econômica
28/06/2011 14:45

Deputados ressaltam crítica de Milton Santos à globalização econômica

Luiz Cruvinel
Sessão Solene em Homenagem Póstuma ao Pesquisador e Geógrafo Milton Santos
Parlamentares e convidados participam da homenagem a Milton Santos.

Deputados ressaltaram nesta terça-feira a postura crítica do geógrafo Milton Santos ao modelo exclusivamente econômico de globalização. A avaliação foi feita durante sessão solene, solicitada pelo deputado Luiz Alberto (PT-BA), em homenagem ao intelectual baiano, morto em 2001.

Para o autor do requerimento, Santos foi um crítico feroz da visão apenas financeira do mundo. “Milton Santos transformou a geografia e se preocupava principalmente com as cidades desiguais. Ele criticou fortemente a globalização excludente.” Na opinião de Luiz Alberto, o intelectual permanece um “farol” para os que combatem as desigualdades.

O presidente da Câmara, Marco Maia, em carta lida pelo deputado Mauro Benevides (PMDB-CE), ressaltou a originalidade da crítica de Milton Santos. “Ele dissecou a globalização muitos antes de esse conceito ser discutido”, afirmou.

Segundo o deputado Edson Silva (PSB-CE), o geógrafo foi pioneiro na análise crítica da globalização e das suas consequências desiguais em grande parcela da população.

O deputado Amauri Teixeira (PT-BA) lembrou que o geógrafo, “maior crítico da globalização”, morreu no auge desse processo. “A globalização era apenas financeira e não favorecia a maioria dos povos, principalmente os mais pobres e oprimidos”, disse.

Intelectual negro
A ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Promoção de Políticas de Igualdade Racial, exaltou a importância de Milton Santos na superação do preconceito e o fato de ele ter se destacado como intelectual em todo o mundo. Ela criticou o preconceito de quem ainda considera a expressão “intelectual negro” como uma contradição.

“A importância de Milton Santos ultrapassou fronteiras e construiu uma trajetória ímpar entre os netos de africanos escravizados no Brasil”, afirmou ainda o deputado Luiz Alberto.

Prêmio mundial
Milton Santos recebeu o Prêmio Vautrin Lud, conferido por universidades de 50 países e considerado a principal premiação mundial no campo da geografia. Ele viveu exilado de 1964 a 1977, período em que lecionou em universidades da Europa, África, América Latina e Estados Unidos.

Apesar de ter se graduado em Direito, Milton destacou-se por seus trabalhos em diversas áreas da geografia, em especial nos estudos de urbanização do Terceiro Mundo. Sua obra “O espaço dividido”, de 1979, desenvolve uma teoria sobre o desenvolvimento urbano nos países subdesenvolvidos e é considerada um clássico mundial. Ele recebeu 18 títulos de doutor honoris causa e teve mais de 40 livros publicados.

Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Ralph Machado

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'



Comentários

ALMIR MESSIAS PINA | 29/06/2011 09:55
O professor Milton Santos é merecedor de todas as homenagens pela grandeza da sua obra. Parabéns aos proponentes desta lembrança e homenagem. Ainda no domingo tive o privilégio de ver uma entrevista dele para o Roberto Dávila na TV Brasil. Há cerca de 10 anos ele já previa boa parte dos acontecimentos atuais, como a atual crise do capitalismo finnaceiro.

Mapa do Portal