Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Página Inicial / Institucional / Visite! / Centro Cultural / Notícias / As Mensageiras: Primeiras Escritoras do Brasil

As Mensageiras: Primeiras Escritoras do Brasil

O Centro Cultural Câmara dos Deputados convida para a exposição As Mensageiras: Primeiras Escritoras do Brasil, aberta à visitação de 12/9 a 3/10, no corredor de acesso ao Plenário. A mostra, que faz parte da série Histórias não contadas, pretende dar visibilidade à biografia e à obra das desbravadoras das nossas letras.
28/08/2018 11h00

A exposição resgata a memória de pioneiras como Nísia Floresta, Maria Firmina dos Reis, Emília Freitas, Júlia Lopes de Almeida e Carmem Dolores. A ideia é contribuir para o debate acerca do silenciamento da voz feminina no cânone literário e suscitar interesse pela fala e pela história de mulheres que muito lutaram pelo direito de manifestarem suas ideias e de verem seu trabalho reconhecido pela própria família, pelos escritores contemporâneos, pelo público e pela crítica.

O título da mostra faz alusão ao periódico A Mensageira: revista literária dedicada à mulher brazileira, que circulou em São Paulo no final do século XIX. A Mensageira, O Sexo Feminino, O Jornal das Senhoras e A Família, entre outros jornais destinados às mulheres nos anos 1800, incentivaram a produção de autoria feminina e despertaram, sob um feminismo iniciante, a consciência das mulheres para a necessidade de conquistarem direitos relativos à educação, à profissionalização, à sexualidade, ao divórcio e ao voto.

A maioria das escritoras contempladas na mostra nasceu no Brasil e publicou na imprensa nacional no século XIX. O recorte privilegiou o volume de textos produzidos, a importância, as peculiaridades e∕ou o pioneirismo das obras e também o acesso a informações sobre as escritoras.

Confira aqui o catálogo virtual da mostra.
As Mensageiras: Primeiras Escritoras do Brasil

Visitação: de 12 de setembro a 3 de outubro de 2018, segunda a sexta, das 9h às 17h
Local: Corredor de acesso ao Plenário Ulysses Guimarães, Câmara dos Deputados
Entrada franca