Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

História

O Museu da Câmara dos Deputados foi criado oficialmente pelo Ato da Mesa 95/1998, mas desde 1992 já existia um espaço cultural na Casa que cuidava do acervo histórico e das exposições temporárias. O acervo museológico possui cerca de 1,8 mil peças, entre elas mobiliário, objetos decorativos, obras de arte, máquinas e equipamentos, condecorações e presentes protocolares doados por autoridades nacionais e estrangeiras.

Atualmente, o museu mantém peças de destaque do seu acervo como ambientação do Palácio do Congresso Nacional e realiza mostras temporárias com parte do seu acervo que fica tradicionalmente acondicionado nas reservas técnicas para sua preservação.

As atividades do museu incluem a documentação, a preservação e a conservação do acervo, pesquisas e a capacitação de servidores para a gestão dos bens sob sua responsabilidade. Além disso, o museu promove convênios e intercâmbio com outras instituições públicas e privadas, podendo ceder materiais e objetos para mostras.

Coleção

Parte do acervo do museu originou-se das antigas sedes da Câmara no Rio de Janeiro. Em 1973, diversos bens foram transferidos do Palácio Tiradentes para a atual sede em Brasília. Tratava-se de móveis e objetos decorativos do próprio palácio e das sedes anteriores: Cadeia Velha, Palácio Monroe, Palácio São Cristóvão e Biblioteca Nacional.

Muitos objetos do acervo ajudam a contar a história da Câmara, do Senado Federal e do Parlamento brasileiro, lembrando a tramitação legislativa das constituições brasileiras e das leis. O museu utiliza essas peças para promover exposições históricas e institucionais.

Também compõem o acervo o mobiliário de design, previsto no projeto original para a construção do Palácio do Congresso Nacional em Brasília. Essas peças decoram os principais salões da Casa e as salas de reuniões e das lideranças partidárias.

A partir de 1992, o acervo passou a receber obras de arte doadas pelos artistas que expunham na Casa. Com a criação oficial do museu em 1998, iniciaram-se diversas ações para normatizar as aquisições e direcionar a curadoria.