Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Página Inicial / Institucional / Visite! / Centro Cultural / Histórico / Histórico de Páginas / Estrada Colonial do Planalto Central

Estrada Colonial do Planalto Central

 

Estrada Colonial no Planalto Central


 

Câmara lança livro e expõe fotos  do mais extenso caminho colonial que definiu os contornos do Planalto Central


"Estrada Colonial no Planalto Central – uma viagem em baixa velocidade", com 80 fotos do renomado Rui Faquini e textos do historiador Victor Leonardi será lançado dia 20 de março, no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, às 11 horas, para convidados. O trabalho tem o patrocínio da Brasil Telecom. Além do livro serão mostradas até o dia 4 de maio, na Foto Galeria onze das mais expressivas imagens documentadas por Faquini.

O projeto, que inclui o livro resgata a história da mais extensa estrada oficial da história do Brasil, apresentando imagens e informações de um trecho de aproximadamente 750 km, que vai da Cidade de Goiás até o Parque Nacional Grande Sertão Veredas, marcos definidores do Planalto Central.

Com base nos estudos do historiador Paulo Bertran, a Ong Instituto Paidéia identificou uma pequena parte da antiga estrada, aberta nos anos 1730, que ligava Salvador ao extremo oeste do Mato Grosso e cruzava o norte do atual território do Distrito Federal. Foi a chamada Estrada Geral do Sertão – que recebeu outros nomes de acordo com a época e a função que adquiriu, entre eles Estrada Real, Estrada dos Currais, Estrada do Sal, Estrada dos Couros, Picada da Bahia.

O trecho escolhido inicialmente compreendia uma extensão de 300 km, de Formosa/GO a Corumbá de Goiás. Seu mapeamento foi baseado em dois documentos do século 18, resgatados por Paulo Bertran. Os objetivos definidos no projeto eram: gerar rotas turísticas em torno da antiga estrada e proporcionar o desenvolvimento sócio-econômico das comunidades dessas regiões.

A equipe decidiu ir muito além da elaboração de rotas turísticas. A intenção é implementar um programa de dinamização da região, catalisador de auto-estima e desenvolvimento econômico-social, baseado na história e na cultura regionais, com um Roteiro Turístico Integrado, afinado com o Projeto Roteiros do Brasil do Ministério do Turismo, segundo Bismarque Villa Real, coordenador do Estrada Colonial no Planalto Central. A abrangência também foi ampliada de 300 km para 750 km – extensão que liga os marcos definidores do Planalto Central.

História preservada

Muitos trechos da antiga Estrada Colonial guardam sítios arqueológicos de 6 mil anos, referenciais históricos como muros de pedra divisores de sesmarias, mourões de aroeira de 200 anos, caminhos que mantêm suas características originais; edificações urbanas e rurais que revelam a arquitetura dos séculos 18 e 19, comunidades tradicionais. Em 1994, estudos sobre o Planalto Central feitos pelo historiador Paulo Bertran resultaram na publicação do livro "História da Terra e do Homem no Planalto Central", que já demonstrava a vocação da região para o turismo como forma de promover o desenvolvimento sustentável das comunidades locais.

AUTORES DO LIVRO

Rui Faquini

Fotógrafo há 40 anos, Rui Faquini tem percorrido muitas estradas do Brasil e do mundo, mas é com especial afeição que imprime a luz da região Centro-Oeste, revelando imagens de locais pouco conhecidos do grande público. Nasceu em Morrinhos (GO), em 1943.
Victor Leonardi

O historiador Victor Leonardi assina os textos do livro. É autor de 11 publicações. Estudou na Universidade de Paris, foi professor da Universidade de Brasília, da Unicamp, da Universidade Federal da Paraíba, da Universidade do Amazonas e da Universidade de Berkeley, Califórnia (EUA). Entre outros trabalhos, publicou, pela Editora Universidade de Brasília, o livro Os historiadores e os rios.
Bismarque Villa Real

Bismarque Villa Real é coordenador geral do projeto Estrada Colonial no Planalto Central. Foi o responsável pela pesquisa de campo que identificou o trecho Formosa/Go – Corumbá de Goiás. Engenheiro, colaborador do historiador Paulo Bertran em pesquisas da Eco-história do Planalto Central. Autor do guia turístico "Por onde andar – Nordeste Goiano" e de mapas turísticos da região Centro-Oeste.
Instituto Paidéia

O Instituto Paidéia é uma ONG sem fins lucrativos, com sede em Brasília. Fundado em 1987, tem um histórico voltado para a realização de eventos culturais e de atividades relacionadas a pesquisas eco-históricas na região Centro-Oeste, diagnósticos turísticos, programas de educação ambiental e publicação de guias turísticos.

LANÇAMENTO na CÂMARA DOS DEPUTADOS:

"Estrada Colonial no Planalto Central – uma viagem em baixa velocidade" - livro de 92 páginas, com 80 fotos do fotógrafo Rui Faquini e textos do historiador Victor Leonardi.

Editora Instituto Paidéia.

Data: 20 de março

Horário: 11 horas

Local: Salão Nobre da Câmara dos Deputados

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA

"Estrada Colonial no Planalto Central" – 11 fotos de Rui Faquini

Data: de 20 de março a 04 de maio

Horário: de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas

Local: Foto Galeria – Corredor de acesso a Presidência da Câmara