Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Portal da Câmara dos Deputados

  • Retorne o texto ao tamanho normal
  • Aumente o tamanho do texto

Navegação Global

Câmara dos Deputados
Você está aqui: Página Inicial > A Câmara > Conheça a Câmara > Câmara Destaca > Mineração > Conceição do Mato Dentro: impacto socioambiental preocupa moradores e autoridades

Conceição do Mato Dentro: impacto socioambiental preocupa moradores e autoridades

Claudia Brasil (reportagem) e Marcelo Oliveira (edição)*

Mapa ConceicaoConceição do Mato Dentro, em Minas Gerais, ainda preserva aquele ar de cidade do interior, mas, aos 308 anos, isso começa a mudar. A cidade, que se tornou conhecida pelo ecoturismo (proporcionado por belezas naturais como a famosa Cachoeira do Tabuleiro), é agora uma nova fronteira econômica. A riqueza a ser explorada está no subsolo: o ferro. E antes mesmo que o minério comece a ser extraído, os primeiros impactos já são evidentes. A compra de terrenos pela mineradora Anglo American trouxe problemas para vários moradores.

Integrante de uma família de lavradores, João Élcio Pimenta vendeu sua propriedade em setembro de 2010.  Só recebeu o dinheiro um ano depois, sem qualquer correção. Ele garante que muitas outras promessas feitas pela mineradora ainda não saíram do papel. "Negociei 30 hectares com eles [a empresa], mas só me pagaram agora – mais de um ano após a transação –, sem juros. Não concordo com isso. Além disso, não me deram documentação ou um comprovante sequer sobre os royalties. O próprio advogado deles me falou que eu teria direito aos royalties daqui a quatro anos, quando começarem a tirar o minério”, afirma.

As reclamações são compartilhadas pelo lavrador Lúcio da Silva, que argumenta que as ações da mineradora para compra de terras em Conceição do Mato Dentro não são corretas. "Estão nos tirando à força. Estamos nos sentindo massacrados e vendo as pessoas sendo massacradas."

Procurada pela reportagem, a mineradora Anglo American não quis se manifestar.

Impactos rural e urbano

O secretário de Meio Ambiente de Conceição do Mato Dentro, Sandro Lage, está preocupado. Ele ressalta que os problemas decorrentes da mineração atingem o campo e também a área urbana. "Na região específica da planta da mina, já temos um impacto grande com o reassentamento da população diretamente afetada pelo empreendimento. Há diversas denúncias nesse sentido.  No espaço urbano, verificamos o crescente contingente de operários, formando repúblicas, o que influencia nosso casario, nosso trânsito. O mercado imobiliário também está muito inflacionado em função da hospedagem desses trabalhadores aqui na cidade", explica.

O secretário aponta ainda outra consequência negativa: nos últimos dois anos, o aterro sanitário controlado virou um lixão a céu aberto com o aumento da quantidade de lixo produzido após a chegada da mineradora. A empresa não teria cumprido cláusulas relativas a coleta, acondicionamento e tratamento dos resíduos.

Projeto ambicioso

Fotovideo02O projeto de mineração de ferro em Conceição do Mato Dentro envolve ainda a cidade vizinha de Alvorada de Minas. Juntos, os dois municípios devem produzir 26,5 milhões de toneladas de ferro por ano. O minério será transportado até o Porto de Açu (RJ) para exportação através do maior mineroduto do mundo, o Sistema Minas-Rio, com 525 km de extensão. O mineroduto, que iniciará suas operações neste ano, passará por 32 cidades.

Quando a mina começar a funcionar, devem ser gerados cinco mil empregos diretos e indiretos em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. A arrecadação de impostos em Conceição do Mato Dentro também vai aumentar. Sandro Lage, no entanto, faz o alerta: a degradação ambiental vai cobrar um preço alto dos moradores da cidade. "Haverá um rebaixamento do perfil de serra, que será substituído por crateras com centenas de metros de profundidade", prevê.

Quem sempre sobreviveu da terra também olha com certa desconfiança para o futuro. "Tenho medo de que, em breve, a natureza já não consiga mais ser tão generosa", comenta Lúcio da Silva.

Fotovideo03Mudança na paisagem

Dentro de alguns anos, com o avanço da extração do minério na Serra da Ferrugem, até o traçado da rodovia estadual MG-010 vai mudar. A via corta a cadeia de montanhas que será explorada e os carros já não poderão mais seguir por esse caminho. Para ter uma ideia das mudanças que a paisagem da região vai sofrer, não é preciso ir longe. Basta ver o exemplo de Itabira, terra natal do poeta Carlos Drummond de Andrade, distante um pouco mais de 150 km de Conceição do Mato Dentro.

* Reportagem produzida em parceria entre a TV, a Rádio e a Agência Câmara.

Leia também:

Itabira: "Cidade do Ferro" vive futuro incerto com a possibilidade do fim do minério
Os desafios da mineração brasileira

Informações de Apoio

Mapa do Portal